Saude de A a Z

Alergias

O que é uma alergia?

O nosso corpo possui vários mecanismos de defesa para nos proteger de inúmeras agressões que podem causar doenças ou lesões. Nos indivíduos com alergias essas defesas são ativadas por substâncias inofensivas que noutros indivíduos não causam qualquer tipo de resposta. Nas alergias há uma ativação do sistema imunitário, mediada por um tipo de anticorpo - imunoglobulina E -, e que levam a uma resposta inflamatória. Quando o indivíduo alérgico é exposto à substância a que é sensível – alergénio - há uma resposta inflamatória exagerada e que leva ao aparecimento dos sintomas.

Porque é que algumas pessoas se tornam alérgicas?

Não se sabe reconhecer atualmente quem vai desenvolver uma alergia e quem não vai. Sabe-se que o maior factor de risco para desenvolver uma alergia é a existência de familiares próximos com alergias. Uma criança em que um dos pais tenha alergia, tem um risco de cerca de 20% a 40% de vir a apresentar alguma alergia também, quando comparada com uma criança em que nenhum dos pais tem história de alergias. Se ambos os pais tiverem alergias, essa probabilidade aumenta ainda mais - entre 40 a 60%. Outro factor que influência o risco de desenvolver alergias é a exposição precoce a certos alergénios (daí as precauções com a introdução de certos alimentos na alimentação das crianças) e factores ambientais (poluição e fumo de tabaco, por exemplo).

Quais são os alergéneos mais comuns?

Os alergénios mais frequentes são: pólen das árvores ou gramíneas, ácaros do pó, pelo de animais domésticos, bolores, leite de vaca, ovo, peixe, marisco, amendoim e alguns medicamentos. Existe também um número considerável de indivíduos alérgico ao veneno da picada de insectos (abelhas, vespas e mosquitos, mais frequentemente).

Sou alérgico - o que posso fazer?

O primeiro passo é identificar qual o alergénio responsável pelos sintomas. Para isso deve recorrer a uma consulta médica para que este possa ser identificado através da história clínica e/ou através de exames complementares de diagnóstico. Posteriormente é essencial evitar o contacto com o alergénio em causa ou, se tal for impossível, minimizar a exposição ao mesmo. Vai receber na consulta informação adicional sobre o alergénio e conselhos sobre como poderá fazer para evitá-lo. Se necessário, poderá ainda ser medicado de forma a diminuir os sintomas e o mau estar no dia-a-dia. Dois tipos de fármacos frequentemente usados são os anti-histamínicos, que diminuem os sintomas como o prurido, e os corticóides que reduzem a resposta inflamatória exagerada que o alergénio desperta. Algumas alergias, pela intensidade dos sintomas ou pela necessidade de maiores doses de fármacos para as controlar, podem implicar consultas de vigilância regular. Marque uma consulta na Walk'in Clinics e descubra qual o melhor plano terapêutico para si.

Quais as doenças alérgicas mais comuns e seus sintomas?

 

Dermatite/Eczema Atópico:

            - Secura cutânea

            - Eritema (pele vermelha)

            - Descamação cutânea

            - Prurido (comichão)

            - "Borbulhas"

Asma:

            - Tosse

            - Dispneia (falta de ar)

            - Pieira ("chiadeira" ou "gatinhos" a respirar)

Rinite e conjuntivite alérgicas:

            - Obstrução nasal

            - Rinorreia (pingo no nariz)

            - Prurido (comichão) nasal e/ou ocular

            - Espirros frequentes

            - Olhos vermelhos

            - Lacrimejo

Alergia alimentar:

            - Vómitos e/ou diarreia

            - Edema (inchaço) dos lábios e/ou língua

            - "Manchas" na pele

            - Dispneia (falta de ar)

            - Pieira ("chiadeira" ou "gatinhos" a respirar)

Outros artigos de Saude de A a Z

    Subscreva a nossa Newsletter.

    *Email incorreto. Tente novamente

    Fique atento ao seu email e conheça às novidades Walk'in Clinics.

    Quer fazer parte da nossa equipa?

    Envie candidatura para:

    recursos.humanos@wic.pt

    PARA MARCAR CONSULTA

    LIGUE

    214 077 973